quarta-feira, 14 de abril de 2010

Alberto Caeiro


Procuro despir-me do que aprendi
Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras,
Desembrulhar-me e ser eu...

Um comentário:

carol sakurá disse...

Ai,Neguinha!
Assim vc me derrete!
Aprendi a me desnudar ao escrever.
Beijos!